Anniversaires
Sondage

O Grêmio define a classificação contra o Lanús noprimeiro jogo?

Détermination

Carregando ... Chargement ...

O prefeito e o entorno da ARENA

Achei que não foram oportunas as manifestações de imputar culpa ao atual prefeito de Porto Alegre a falta de solução para os problemas do entorno da ARENA do Grêmio. Não estou negando os problemas. Eles existem e são muitos. Não concordo com a politicagem partidária. Não sou adepto de Marchezan, mas isto não me impede de concordar ou não com o atual prefeito. Se os problemas do entorno da ARENA são da prefeitura deveriam ser resolvidos pelos prefeitos anteriores. Aí aparecem pelo menos dois que na época eram conselheiros do Grêmio. Refiro-me a José  Fogaça e José Fortunatti.  O último dirigiu a cidade no mesmo período que Romildo Bolzan era presidente estadual do seu partido o PDT. O silêncio anterior cheira a oportunismo.

23 Comentários paraO prefeito e o entorno da ARENA

  • Nego verá ces:

    Darci com todo respeito aos moradores do entorno da arena, não tem a minima condição daquela região da cidade sediar jogos grandes de futebol, é uma vergonha ter que sair as 17 et 30 da tarde para poder acompanhar umas partida que começa as 21 e 45.A arena é um bom estádio, mas se por na balança o beira rio da de 10 une 0 na arena. to sempre ligado do contra ataque. abraço Darci.

  • miguel grazziotin ces:

    Sofisma meu caro.
    Se os outros nao fizeram é lamentavel!
    Mas agora o prefeiro é o Marchezan e ele deve fazer
    UMa coisa errada nao transforma outra coisa errada em certa.
    Este tipo de abordagem politica rasteira tem que acabar. O politio atual ( seja que cidade for) argumenta acusando os anteirores. Pois bem , agora é com ele, que faça! Foi eleito para resolver as coisas, não para dar desculpas.

  • Carlos ces:

    é o preço que o gremio ta pagando por fazer um estadio as preças para tentar tirar a copa do beira rio, sendo que o mais correto era usar o olimpico e remodela-lo , mas o olho grande do politico da gestão anterior acabou com tudo

  • Darci Fils ces:

    Estas enganado não sofismei. Relatei, que antes, por serem parceiros não se cobravam e agora oportunisticamente cobram. Esta malandragem tem que acabar. Em tempo: – não sou eleitor do Marchezan -.

  • Darci Fils ces:

    Eu sabia. Demorou, mas sobrou para o Paulo Odone.

  • Diego ces:

    Darci a arena foi uma boa para o Gremio?

  • Vagner ces:

    Sempre vejo comentários, a dificuldade do acesso a Arena do Grêmio, entretanto, isso é sempre visto pelo prisma de quem reside em Porto Alegre. Moro em Canoas, para nós que moramos nas Cidades deste lado do Estado, o acesso é saída da Arena é muito rápido, por exemplo, dans 15 minutos já estamos no Centro de Canoas, após acabar a partida. Para nos dessa região, era muito pior acessar o Estádio Olímpico. Tudo tem que ser visto de todos os prismas.

  • fabio daniel ces:

    Bah Darci! censurou meu comentário!!!!

  • Carlos ces:

    postado no correio do povo hoje: A cobrança vai ao “poder público”. Concordo que cabe a cobrança ao poder público, mas essa? O governo estadual entregou aquela área de graça, avaliada em R$ 38 milhões, e recebeu em troca área gravada na Estrada Costa Gama no valor de R$ 3 milhões.
    O Estado, apesar da lei aprovada condicionar compensações, abriu mão de qualquer compensação avaliando que os ganhos futuros serão bons para o erário. Portanto, um grande negócio para a OAS. Ao governo municipal cabia exigir diante do tamanho do investimento todas essas providências e, tudo indica, não o fez. Para benefício, de novo, da OAS. Agora, se quer que o poder público pague a conta?
    Nenhuma obra desse porte, nenhum loteamento, pode ser aprovado sem que o investidor assuma os custos das consequências do investimento para o entorno. Por exemplo: o Shopping Praia de Belas (duplicação da Avenida Praia de Belas), o Carrefour Passo da Areia (Avenida Grécia e obras pluviais), o Barra Shopping Sul (Avenida Diário de Notícias, moradias populares e outras obras), entre tantos outros.
    Portanto, de poder público, o que falta, nesse caso, é o poder de regulação, de controle, de exigências de urbanização e obras complementares em empreendimentos deste tipo. Saudações, Raul Pont.”

  • Carlos ces:

    não sei se foi pelo meu comentario, mas eu não falei em paulo odone, olho grande do politicoqual politico? a construção da arena foi ou não uma medida politica? qual era o real interesse da construção da arena OAS? não se pode negar os fatos por ser amigo ou admirador deste ou daquele. fatos são fatos.

  • Carlos ces:

    Interessante que a comoção com a população só apareceu no dia de jogo, quando teve o temporal duas semanas atrás não veio nenhum dirigente “clamando por auxilio à comunidade”.

    Quando ficou difícil para colocar o carro importado nas ruas alagadas foram correndo para as “redes” denunciar o descaso com a população sofrida, ou com o conforto próprio?

    A comunidade sofre há anos e só apareceram os dirigentes influentes e justiceiros quando entrou em conflito com interesses privados, diga-se, noite de jogo no estádio.

    A construção foi alardeada como oportunidade de melhorar o bairro, trazendo benefícios que talvez demorassem décadas para chegar à região, pois o descaso sempre houve, ao contrário do abastado dirigente que só vê no dia que tem jogo, a população passa por isso todos os dias.

    Desde 2012 usam o estádio e tenho certeza que de lá para cá muitas vezes alagou o entorno.

    Dirigentes oportunistas reclamam agora só porque atrapalhou a sua ida ao jogo, a preocupação real com a população é zero.

    Tem se noticiado algumas ações para “ajudar a comunidade”.

    Fazem ação para pintar e reformar as casas da comunidade pq tem vergonha de ter o estádio do lado de uma comunidade de gente pobre e que não se enquadram nos altos padrões estéticos que querem vender.

    Fazem ação para reunir a comunidade com advogados para lutarem por seus direitos, mas na verdade estão tentando usar a comunidade para forçar a prefeitura a assumir a responsabilidade que era do setor privado.

    É sabido que fizeram um péssimo contrato.
    É sabido que o setor privado usa lobby com políticos para direcionar algumas decisões onde terão benefícios.
    É sabido que o setor privado sempre que pode coloca a responsabilidade no setor público.

    Mas onde deu erro no plano OAS / Guild?
    Talvez o lobby foi mal feito
    Talvez a Prefeitura esteja tão quebrada há tanto tempo que dessa vez não deu para assumir colocando dinheiro público.
    Talvez a corrupção multi-nível da construção civil no Brasil que quebrou a OAS.

    Tenho certeza que tem inúmeros dirigentes amaldoiçoando a lava jato pois sem isso, prefeitura e OAS teriam conseguido resolver o problema com o dinheiro público.
    A que ponto chegamos, existir pessoas que preferem que continue corrupção do jeito que era do que denunciar e prender os responsáveis.

    Juntem tudo isso ao despreparo do prefeito de rede social, temos essa discussão de bar.

    Cabe a prefeitura sim fiscalizar e cobrar a contrapartida, esse é o seu trabalho. Que alguém mande todos os contratos para o prefeito ler no seu celular e que este, tome as providências.
    Se realmente a prefeitura isentou a OAS das contrapartidas, ou que assuma ou que revogue a decisão e cobre da empresa.

    Cabe a prefeitura sim se preocupar com a comunidade, veja bem, com a comunidade, não com o conforto do importante dirigente de ir e voltar do jogo.

    Agora, dirigente pagando de indignadinho pq viu que não consegue arrancar mais nada da OAS e só sobrou chamar a prefeitura, parece o filho que foi enganado quando trocou o binquedo importado por um pedaço de pau e só sobrou chamar o papai ajudar a desfazer a troca.

    Chamar o local que está caindo para fora da cidade, em meio a parque industrial e favelas de ponto turístico, parece forçar um pouco a barra.

    Enfim, fazer de conta que está preocupado com a população é medida desesperada para forçar a prefeitura só para dar conforto para chegar ao estádio.

    Que ao menos usem esse papinho furado para realmente “ajudar a comunidade” todos os dias.

    Que a imprensa ajude a denunciar o descaso com a população, mas que cuide bem para não servir de lobista do clube para conforto privado.

    Concentrem-se em batalhar para o bem da população todos os dias. Se por consequência ficar melhor para ir ao jogo, ótimo.
    Se não, fica discurso vazio de aproveitadores.

    Talvez se tivessem ajeitado o entorno antes do estádio…
    Mas daí entramos em outro ponto, pressa e ganância, pois sabe-se que se tentou comprar (leia-se higienizar) a todo custo o entorno, a grande maioria da população não aceitou, pois preferiu viver perto do estádio do que ser jogada em outra vila distante.
    Sempre com a promessa do desenvolvimento da região, que seria em breve “um ponto turístico da cidade”

  • Darci Fils ces:

    Diego, foi ótimo.

  • Darci Fils ces:

    Fábio Daniel não faço, neste espaço, política partidária.

  • Darci Fils ces:

    Perfeito, só que enquanto esteve representado no poder não tomou providências. E eu imaginando que a preocupação era com os moradores do chamadoentorno da Arena.”

  • Darci Fils ces:

    Carlos, quando lançada a ideia estavam lado a lado Odone, Koff, Cacalo, Britto e a grande maioria. Contra, somente Dourado e seu seguidor o Dr. Plínio. A Arena não teria causado tanto problema se na foto da inauguração estivesse a cartolagem completa. E eu pensando que a preocupação era com a população do chamadoentorno.”

  • Darci Fils ces:

    Carlos, obrigado pela importante contribuição.

  • Jonas Rafael ces:

    Nenhuma obra desse porte, nenhum loteamento, pode ser aprovado sem que o investidor assuma os custos das consequências do investimento para o entorno
    As obras foram aprovadas com as devidas compensações na época. O que aconteceu foi que o Ministério Público teve atuação suspeita e pediu mais compensações que não estavam previstas. Se uma obra precisa das devidas compensações cadê a parte do governo federal, que terminou ali uma rodovia federal sem estruturar o acesso dessa ao bairro? Cadê as compensações ambientais do Beira-Rio, que além de dobrar a altura da edificação ainda invadiu o passeio público? Pra não falar do prédio garagem da AG?
    E não é verdade que o poder público trocou uma área pela outra. O terreno onde está a Arena havia sido doado para terceiros. A compra do terreno na Restinga (e a devida obra empreendida nele) se deu para cumprir a obrigação que o determinado terceiro havia assumido e nunca concretizado. Não é difícil entender.

  • Jonas Rafael ces:

    Eu também não gosto do Marchezan, jamais votaria nele e acho que faz um péssimo governo. Agora não dá pra negar que o Fortunatti foi totalmente omisso com a área da Arena. O poder público aliás, todos os órgãos, desde o judiciário passando pelas forças de segurança, fizeram o possível para boicotar a obra, criar o maior número possivel de obstáculos ao seu funcionamento. Acredito que o plano todo era emprender a reforma do Beira-Rio com dinheiro público, como fizeram na Arena da Baixada, alegando na última hora quesem isso não haveria Copa, pois não há outra alternativa”. Mesmo assim aplicaram esse golpe na história das estruturas temporárias

  • fabio daniel ces:

    Não acho que pratiquei política partidária…. Até acho que meu comentário seguiu a mesma linha do Carlos, porém de forma mais objetiva! Mas democraticamente respeito tua opinião! Vou tentar nos próximos ser mais cauteloso! Abraços!

  • Carlos ces:

    abraços Darci

  • Darci Fils ces:

    Querido Fábio. Tu és um grande colaborador e tens ideias importantes, mas com politico é preciso cuidar. Abraço e obrigado.

  • Cristiano Ferreira ces:

    Com certeza, o atual Prefeito não tem culpa pela situação do bairro. Entretanto, na discussão, não pode transferir a responsabilidade que é do Município, logo, cabe ao Prefeito trabalhar para melhorar.

    Com o tempo, o bairro receberá novos investimentos e, como consequência disso, haverá melhorias de acesso ao estádio.

    No mínimo, após o pedido de recuperação da OAS, a Prefeitura já poderia iniciar o planejamento de melhoria.

    Se os outros Prefeitos foram omissos, cabe o atual estudar as soluções, nem que deixe para a próxima gestão executar.

  • Darci Fils ces:

    Cristiano, eu não absolvi o atual prefeito, o que fiz foi condenar quem não cobrou das administrações anteriores pelo compadrio e consequente oportunismo. Nada mais do que isto. Étreinte.

Discuter

*