Aniversariantes
Enquete

Quem precia de mais reforços para 2019?

Apuração

Carregando ... Carregando ...

Campeão de lesão muscular

O Grêmio foi campeão de lesão muscular em 2017. Sei que os de sempre reclamarão. Sem conhecimento é claro. As lesões musculares no Grêmio acontecem em treinos, no aquecimento para jogos, em início e no final dos jogos. Falta o atleta pensar em trabalhar e se lesionar. O Departamento de Futebol do Grêmio precisa cobrar do Departamento Médico. Não entendo o silêncio do Renato Carioca sobre o assunto. O Internacional está fora do gráfico, porque esta pesquisa inclui somente os clubes que disputaram a Primeira Divisão em 2017.

Um Comentário para “Campeão de lesão muscular”

  • Cristiano Ferreira disse:

    Ninguém entende o silêncio do Renato sobre as lesões.

    Existe uma área que nem o dirigente do Grêmio tem coragem de mexer que é o departamento médico.

    Romildo chegou a reclamar publicamente, o que fez um dos médicos colocar o cargo a disposição. Depois, Romildo contemporizou.

    Politicamente, Romildo colocou Duda, dirigente que acredita na sorte ou no azar.

    Se formos elencar todos os equívocos que o departamento médico do Grêmio já cometeu, daria para escrever um livro.

    E o pior, continuam a cometer equívocos. O Matheus Henrique poderia ter tido uma grave lesão no joelho. O Arthur teve que fazer cirurgia após ficar 24 horas em plena comemoração mancando, o que, sem dúvidas, pode até ter agravado a lesão. E o Bolanos jogou todo o primeiro tempo com a mandíbula quebrada.

    Tenho a curiosidade de se tiver uma fratura exposta, se o médico do Grêmio irá deixar o jogador em campo.

    Em 2016, o Grêmio jogou duas partidas no período de 30 dias. Numa partida foram três jogadores com lesões musculares. Noutra, foram mais três, sendo que dois saíram por lesões musculares.

    Esses fatos não podem ser coincidência. Não pode ser azar.

    Estamos em 2018. as inúmeras lesões ocorreram no período de 2016 até hoje, sem contar os anos anteriores. Os dirigentes não se interessam pelas lesões.

    Vamos recordar do jogador uruguaio Cebola que teve várias lesões musculares e quase não jogou aqui. Até na seleção ele joga, mas aqui ele não se adaptou ao departamento médico.

    O zagueiro Vilson ficou de 3 a 4 meses fora por lesão muscular.

    Ainda tem as situações de reincidência, tanto de lesões quanto de cirurgias.

    E o zagueiro Gabriel continua escondido ou já está na oitava cirurgia?

    Isso é praticamente uma maçonaria, eles se protegem.

Comentar

*